terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

Nem só de Tourette vive um Lar!!!



Nem só de Tourette vive um lar. Nossa vida flui e segue o caminho do vento, o coração pulsa, então a vida anda. Adoro ler, adoro meu lar, gosto de decoração , uma paixão secreta por arquitetura e revistas de decoração. Numa manhã calma, passeando a mente por uma dessas revistas , encontrei um enquete que me chamou atenção: Dez segredos de uma casa feliz. Começei a ler achando que era algo como arrumação, mas a reportagem me surpreendeu.


Começava assim: " Enxergar  os detalhes que cercam o seu lar pode ser a fórmula para ser feliz", sei que isto parece um pouco de romantismo, vida perfeita , ou sei o que. Afinal felicidade são momentos felizes.
Tudo isso mexendo na minha cabeça, mas a leitura me prendeu e eu me entreguei.
Quem tem filhos ou algum familiar com alguma síndrome, por menor que seja, deseja e faz o possível para que o ritmo de vida dos que estão no lar seja o mais suave possível e foi com esse propósito que eu mergulhei nos DEZ  SEGREDOS DE UMA CASA FELIZ , e o transformei para o meu lar e o lar de quem deseja o mesmo que eu.


1.O dom da luz


"A luz não é um detalhe : ela é a vida por completo. Deixe o sol da manhã acordá-lo, tocando de leve a sua pele. Sinta o seu corpo e a alegria de está vivo."

Penso que acordar, espreguiçar e levantar com calma pode nos proporcionar uma sensação maravilhosa de paz, mas o nosso dia a dia nos rouba esse momento e principalmente de nosso filhos.

2. O cuidado dos outros


"Pense na sua família, nos seus amigos, na necessidade que cada ser carrega de trocar experiências e de entrar em contato. Não negligencie a conexão íntima... Valorize a amizade entre todos os espíritos - até mesmo de um animal.
Apaixone-se pelo ciclo da vida e-compartilhe.com.br  o outro a essência  desse modo de viver."

A vida muda de sentido quando voltamos nosso olhar para os lados, como diz no texto, é maravilhosa a sensação de não conhecer ninguém num aeroporto, por exemplo, e se alegrar com a felicidade de reencontro entre pessoas que por algum motivo estavam longe. Nosso coração está sensibilizado  e humano.


3. A beleza do inacabado


"Amar o inacabado é aceitar que viver não se trata de atingir um objetivo, que no fundo, a gente nunca chega lá. O que importa é o caminho. Celebre o instável. Ninguém precisa recuperar o jardim zen para entrar em contato com essa filosofia. O desafio é construir seu jardim zen interno."

Aceitar as diferenças, aprender a facilitar o caminho, esperar o melhor da vida e transformar um limão em limonada .( tarefa que no sentido figurado é uma das mais árduas) Como posso amar o que não está pronto? E rápido pensei , amei meus filhos desde o primeiro sinal de gravidez, amo a vida que se faz a cada dia, aceito o desafio de conviver com a síndrome , que na maioria das vezes , é uma incógnita e que não tem fim...

4. A ordem das coisas

"Nutra o hábito de classificar o essencial. Faça da organização um ritual de purificação e não de penitência. Resuma. Permita o vazio e celebre. Ele é um convite à criação."

Quando eu li  este número, fiquei lembrando de quando eu organizava o horário do meu filho, para que ele tivesse a melhor educação: inglês, natação , futebol, escola, violão.  Eu tinha a ordem das coisas e fui perdendo .É , perdendo mesmo, mas fui eu que permiti  tudo isso, e fui eu que reconheci até onde ele podia chegar, peraí , deixe eu me explicar melhor , até onde ele pode ir,  só ele sabe!  (O limite de cada um a Deus pertence) Tinha chegado o momento ( por causa da síndrome ) de aprender realmente a ordem das coisas: o que no momento era essencial para ele ser feliz ? Hoje temos por enquanto : escola, pais e futebol. E o tempo livre é para exercer á criação ( que é do tamanho do mundo)

5. As habilidades das mãos

" Crie . Usar habilidades das mãos dá sentido á vida"

Quando se cria , se alivia  a mente. É uma válvula de escape , uma fuga do estresse, um momento só seu .

6. A cura pelas plantas

"Aprenda com as plantas a viver o momento presente. Amanhã a flor pode ter mudado. Amanhã pode ser que não chova ou que falte sol. Viva o hoje intensamente. Aprenda com as plantas a não economizar experimentações. Viva o hoje intensamente. Aprenda a  aceitar o eterno ciclo da mudança de estações como uma benção. Receba cada fase como um novo começo e não como um novo fim"

Viver o momento presente é difícil, porque fazemos planos toda a vida. Queremos muito , sonhamos muito, não acho um erro, mas ser como as plantas é sabedoria . Afinal os humanos também possuem um ciclo e aceitar esse ciclo, aceitar essa mudanças, enfrentar novas fases da vida, da diabetes, das síndromes , do amor : é viver intensamente. Não aceitar a derrota, não determinar o fim, crer que existe um amanhã. E o texto segue " tenha em mente que é sempre possível replantar, mudar de terra... Contemple a vida em suas infinitas escalas da planta inteira, raiz , caule e folha"
Assim vamos aprender a observar as pequenas partes, pra mim fica uma lição: não olhe apenas o ser , olhe nas entrelinhas, admire os detalhes. Nos meus filhos queria o melhor , hoje desejo o ser feliz e realizado. Exijo o necessário, fiz um resumo, me custou  muitas dores de cabeça e estresse, mas mudei . Ainda sofro com meus padrões, por exemplo, as primeiras provas deste ano vão começar e eu já sofro .

7. Sentimento de liberdade

" O verdadeiro luxo de hoje em dia é poder ser livre. Dormir numa rede. Não seguir moda.Buscar o essencial."

O que é essencial para o meu lar, para a minha família?  E hoje eu digo o amor!!! Aos poucos estamos voltando a naturalidade de conviver com a síndrome, como família, mudamos o conceito do essencial em nossas vidas , aprendemos que podemos selecionar o que faz parte de nós e estamos seguindo o curso, enfrentando as fases , essa é a verdadeira liberdade: a de viver fazendo escolhas para o bem comum.

8.Assar o pão

"ame www.ocotidiano.com.br o mesmo amor incansável com que todas as manhãs celebramos nossa paixão pelo pão"

Não sinta medo do novo dia, do dia a dia, ame incansavelmente!!!! (isso devo repetir como um mantra)

9. A alegria do lar

"...é disso que se trata ter uma casa , um refúgio..."  Um porto seguro, o local para ser você.



Achar a tranquilidade no lar no meio de tempestade é difícil, mas podemos abrir os sentidos de alerta, que dizem quando devemos deixar passar a tempestade e quando agir. (Essa é mais uma lição que aprendi , mas que falho ainda e muito)

10. ...Culturas

"Conectar culturas"

Não se isolar , procurar apoio , entro em contato com grupos: de língua diferente , de cultura diferente , mas que tem o mesmo amor no coração. Dividimos experiências e apoio.




Esclarecimento: o que está entre aspas pertence a reportagem da revista Casa e Jardim,( janeiro 2012, foi um texto de Carolina Nogueira sobre a designer holandesa LideWij Edelkoort ) ,fiz apenas uma comparação entre nossas vidas e as dez dicas,  porque foi assim que eu me senti no momento da leitura . Vale a pena ver a reportagem , ver o lado original dos dez segredos de uma casa feliz.
Daniela torres

2 comentários: