quinta-feira, 21 de maio de 2015

A palavra DESISTIR não tem relação nenhuma com as palavras MÃE E AMOR

Nossas vidas com Tourette compartilha com vocês ,um texto maravilhoso de nossa amiga-mãe Edileuza Araújo ,de Ilhéus , que dividiu conosco a importância de uma parceria entre Família e Escola. O que me deixa muito feliz, e muito orgulhosa , é ver o que essa parceria é capaz de fazer. A evolução dos nossos filhos e a maneira como são acolhidos na escola significa muito para o futuro deles.
 
 
 Texto de Edileuza Araujo
 
A palavra DESISTIR não tem relação nenhuma com as palavras      MÃE E AMOR.

Trocar meu filho de escola foi uma decisão juntas: médica, família, psicóloga.
 
Chegamos a conclusão que ele não estava condenado a conviver com aqueles colegas, outrora amigos e derrepente se afastaram e ignoraram completamente, pior , achavam que ele tinha ficado louco.
 
 Assim nos enchemos de esperança e o trocamos.

Primeiros três dias de aula de 2015, tudo lindo!  Ele voltava da escola FELIZ com um SORRISO de ponta a ponta, isso nos deixou ainda mas esperançosos e certos de que foi a melhor decisão que tomamos. Esquecemos por tão pouco tempo que Síndrome de Tourette e mudanças não se batem muito bem,  que crianças, pré adolescente, adolescente só mudam de lugar, mas fazem coisas parecidas. 
 
 Começaram as "brincadeiras" (bulling).

O AMOR é um sentimento que nos move, pais se tornam  incansáveis, podemos estar cansados psicologicamente, emocionalmente e fisicamente,  o amor é o antídoto: nos renova, nos faz sorrir, nos enche de esperança, paciência, nos fortalece.

Inicialmente , pensamos que talvez não fosse necessário  falar sobre a ST já que nosso filho foi tão estigmatizado na outra escola, resolvemos então falar apenas que ele tem tiques, mas,  chega um momento que não funciona é necessidade abrir no total, conversar com toda equipe escolar: Pedagoga, Psicóloga, coordenadora,  Diretora e quem mais for necessário. 
 
 Foi isso que fizemos, organizamos uma pasta e levamos pra todos com todo material possível:  Guia Prático para professores, filme e uma outra apostila falando sobre tiques e Síndrome de Tourette. 
 
 Não foi o suficiente precisava preparar todo material para cada professor,  também não foi suficiente eles precisavam de informações boca a boca e na primeira reunião de pais, estávamos lá, já conhecidos por alguns. 
 
 Após a reunião todos professores foram para suas respectivas salas de aula para que os pais tivessem uma aproximação mais de perto, claro era o momento ideal que tanto precisava, não perdi tempo,  um a um fui conversando sobre meu tesouro e a ST, me deixando disponível pra essa luta que é nossa :Família/Escola .
 
Fui a última mãe a sair da reunião mas conseguir falar com quase todos os professores, sei que vai valer a pena. Os frutos começaram a aparecer,  o trabalho de formiguinha com os colegas já começou.  Deus na frente, no controle de tudo.

Que não nos falte: esperança, fé, coragem, força e muito AMOR.

6 comentários:

  1. estou desesperada com meu filho, me ajude

    ResponderExcluir
  2. estou desesperada com meu filho, me ajude

    ResponderExcluir
  3. Daniela Torres preciso falar contigo, me ajude!!! Karyna_2005@hotmail.com

    ResponderExcluir
  4. Oi sou Fábio.tenho 31 anos.desde minha pre adolescencia tenho alguns tiques.começou piscando os olhos e depois mexendo o pescoço e com o passar do tempo foram se espalhando pro resto do corpo.boca,pernas,barriga,etc.hoje tá mais forte no meu braço e no meu ombro esquerdo.tipo fica mais forte em uma determinada região depois muda pra outra.posso dizer que sou portador de ST?

    ResponderExcluir
  5. Oi sou Fábio.tenho 31 anos.desde minha pre adolescencia tenho alguns tiques.começou piscando os olhos e depois mexendo o pescoço e com o passar do tempo foram se espalhando pro resto do corpo.boca,pernas,barriga,etc.hoje tá mais forte no meu braço e no meu ombro esquerdo.tipo fica mais forte em uma determinada região depois muda pra outra.posso dizer que sou portador de ST?

    ResponderExcluir